História do Tiro com Arco

1950

A história do Tiro com Arco no Brasil remonta a 1950, quando Adolpho Porta, comissário de voo da Panair do Brasil, introduziu o esporte no país após conhecer um habilidoso marceneiro chamado Arlindo durante a Feira Popular em Lisboa, Portugal. Após tornar-se sócio do Glória Atlético Clube, onde praticava, Porta regressou ao Rio de Janeiro em 1955 trazendo alvos, arcos e flechas fabricados por Arlindo, além de um regulamento da Federação Internacional de Tiro com Arco (FITA).

1955

Em parceria com o Fluminense Futebol Clube, Porta iniciou a divulgação do esporte no Rio de Janeiro, contando com o apoio de entusiastas como Rocir Silveira e Waldemar de Oliveira. A primeira prova ocorreu em 5 de novembro de 1955, no atual General Dutra, na Quinta da Boa Vista, patrocinada pelo Clube de Tiro e Diário de Notícias.

1958

O esporte prosperou, e em 1958, foi fundada a Federação Metropolitana de Arco e Flecha no Rio de Janeiro. Ao longo dos anos 50, o Tiro com Arco expandiu-se para Minas Gerais e São Paulo, impulsionado pelo trabalho incansável de abnegados como Sudário Ribeiro Gonçalves e Otto Alfredo Rehder, que fundaram as federações em seus estados.

1970

A década de 70 foi marcada pelo reconhecimento internacional do tiro com arco brasileiro, culminando na filiação à FITA em 1972 e na participação em eventos globais. A vinculação inicial à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a criação da CBDT permitiram a participação do Brasil em torneios internacionais, fortalecendo a presença do país nesse cenário

1991

Finalmente, em 1991, a Confederação Brasileira de Tiro com Arco foi estabelecida, refletindo o amadurecimento do esporte no país.

HOJE

A Confederação busca patrocínios para projetos de fomento, visando a seleção permanente e a revelação de novos talentos, consolidando sua posição como promotora e guardiã do Tiro com Arco no Brasil. Essa jornada é um testemunho não apenas do crescimento do esporte, mas também da resiliência e dedicação da comunidade arqueira brasileira ao longo dos anos.

Fonte: CBTARCO com texto adaptado.

Pular para o conteúdo